Drogas dentro do Espaço Escolar:

Um estudo sobre como a Escola de Aplicação da FEUSP lida com a questão

Cap.4.3  PARCERIA DO PROGRAMA EAPREVE COM O DR. JOÃO PAULO BECKER LOTUFO (PROJETO DR. BARTÔ) 

Em 2013 o Programa EAPREVE estabeleceu uma parceria com o grupo de pesquisa do Dr. João Paulo Becker Lotufo do Hospital Universitário, por meio do projeto “Prevenção do uso de Drogas lícitas” (tabaco e álcool) na Escola de Aplicação da FEUSP, parceria esta que deu muito certo e continua sendo essencial nos dias de hoje.

O Dr.João Paulo é médico pediatra, ex-assessor de direção do Hospital Universitário da USP, coordenador do Projeto Anti tabágico do HU/USP, possui um projeto chamado “Dr. Bartô”, o qual é o nome que ele usa artisticamente, e, juntamente com outros médicos, trabalha na prevenção do uso de drogas lícitas (tabaco e álcool), com  crianças e adolescentes. O Dr. Lotufo ainda é escritor de vários livros que contam histórias lúdicas, que vão ao encontro a situações mais comuns e corriqueiras que acontecem no cotiadiano dos jovens e crianças. Em seus livros, o Dr. Bartô tenta alcançar esse público falando de assuntos como álcool, tabaco, maconha e outra drogas, de uma maneira simples e descomplicada, estimulando a conscientização de todos.

O Projeto Dr. Bartô e os doutores da saúde está disponível para encenação em escolas, empresas e clubes de lazer. Anualmente o projeto visita escolas públicas e particulares que, somando ás encenações apresentam palestras, atividades lúdicas e esportivas para os ensinos fundamental e médio. Algo interessante no projeto, é que existe uma preocupação em preparar os professores para a temática, as palestras também são para instrução e preparo aos professores para saber lidar com a questão das drogas.

Os resultados do projeto são favoráveis, pois existem dados de que no ensino fundamental e médio, aumentou a discussão sobre drogas lícitas nas famílias dos alunos em 60%, como também houve 30% de abandono do cigarro e 29% de abandono do álcool em alguém da família.

Assim como o EAPREVE, o projeto Dr. Bartô acredita na intervenção da família frente aos mais diversos temas do cotidiano das crianças e dos jovens.

O incentivo a “fazer uso” de drogas lícitas ou ilícitas como também a instrução e conscientização para o “não experimento”, tem mais resultados sim a partir de casa. Essa reflexão vai muito ao encontro das palavras de Pratta e Santos (2006), quando citam que o estabelecimento de limites e o diálogo correspondem fatores importantes na constituição do indivíduo, exigindo uma reflexão sobre a questão da educação dos filhos e, conseqüentemente, do relacionamento entre pais e filhos na atualidade.

RECURSOS NECESSÁRIOS PARA MANUTENÇÃO DO PROGRAMA

Os recursos para a manutenção do programa são fundamentais para o desenvolvimento do mesmo, tanto para preparação dos educadores quanto para a  dinâmica das atividades. Dentre estes recursos estão compra de livros para a formação continuada dos professores e ampliação do acervo da biblioteca, compra de programas em vídeo que discutem o tema das drogas, compra de materiais consumíveis e mídias digitais para a organização de atividades.

A parceria que o EAPREVE possui com o Projeto Dr. Bartô possibilita receber materiais que contribuem com programa, fornecendo livros como “Meu tio ficou banguela”, “O sumiço do vovô”, “O estranho caso de Marcelinho Miado, “Névoa assassina” e “Dr. Bartô entrou na Facul”, usados em encontros com os alunos dos diferentes ciclos.

O EAPREVE sempre destaca a necessidade da participação de outros professores da Escola de Aplicação, como também apoio de materiais diversos, para que o programa ganhe em possibilidades e continuidade.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS
Tese de Mestrado de MICHELLY COSTA DA SILVA

Escolas atendidas pelo projeto contra o alcoolismo, tabagismo e maconha. Disponível em www.drbarto.com.br/escolas-atendidas.html.

 

dr-joao-paulo
João Paulo Becker Lotufo
Médico pediatra da SBP, SBPT e SPSP, responsável pelo projeto antitabágico do HU USP
Responsável pelo projeto Dr BARTÔ, de prevenção de drogas no ensino fundamental e médio