Acidentes fatais envolvendo motoristas dispararam em Washington desde que a maconha foi legalizada

 

cigarro-de-maconha

A condução pós uso de maconha pode ser tão grave quanto dirigir embriagado. Acidentes fatais envolvendo motoristas usuários de maconha subiram no estado de Washington desde que a maconha foi legalizada, de acordo com um estudo da Fundação de AAA para Segurança no Trânsito.

Acidentes fatais envolvendo motoristas que recentemente usaram maconha mais que dobrou em 2014. A maconha estava envolvida em 17% dos acidentes fatais em Washington em 2014, um aumento de 8% em relação a 2013 - um ano antes de maconha recreativa ser permitida por lá. 

"O aumento significativo de acidentes fatais envolvendo a maconha é alarmante", disse Peter Kissinger, CEO da fundação, que financia estudos cientificamente rigorosos para a organização dos motoristas.

Enquanto os testes com o bafômetro mostram que a capacidade de dirigir  piora à medida que a alcoolemia aumenta, estudos de laboratório mostram que o mesmo não é necessariamente verdade com o aumento dos níveis de THC, o componente químico principal da maconha. Um motorista com altos níveis de THC pode não ter sua habilidade para dirigir prejudicada, enquanto outro motorista com níveis muito baixos pode sim ter sua capacidade alterada. 
O estudo foi criticado pela Associação Nacional Cannabis Indústria, que constatou que os motoristas que estão embriagados têm um maior aumento no risco de estar em um acidente do que os condutores que usaram maconha . 
O aumento do uso de maconha poderia explicar o aumento de pessoas com THC no organismo na hora dos acidentes. O exame de sangue para demonstrar presença de THC demora mais de duas horas e nesse período o nível de THC pode diminuir ou desaparecer, diferente do bafômetro para o álcool que é realizado rapidamente.

porque uma droga é legal não significa que ela é segura para uso durante a condução de automóveis.

O assunto nos preocupa, pois a maconha medicinal agora é legal em 24 estados dos EUA. E todo assunto relacionado à liberação ou descriminalização da maconha é delicado. Mas até termos dados mais concretos, não dirija após ingestão de álcool ou uso de maconha.

Texto original: CNNMoney (New York) Publicado pela primeira vez 10 de maio de 2016: 09:29 ET

 

 

dr-joao-paulo
João Paulo Becker Lotufo
Médico pediatra da SBP, SBPT e SPSP, responsável pelo projeto antitabágico do HU USP
Responsável pelo projeto Dr BARTÔ, de prevenção de drogas no ensino fundamental e médio